sábado, 27 de fevereiro de 2016

Morning Sex


A ciência já provou que durante determinadas fases do sono os homens todos têm ereções. É algo normal e acontece mesmo que o indivíduo não esteja vivendo uma intensa atividade sexual em seus sonhos. Se bem me lembro da informação, são umas três vezes por noite que os pintos endurecem. Apenas o corpo humanos se cuidando e fazendo com que haja uma hola de paus rodando o mundo incessantemente (lembremos que sempre tem algum lugar em que é de noite).

Muitas vezes ao acordar a rigidez segue. Alguns ignoram, outros acham que é o corpo pedindo um orgasmo. Se a cama é dividida, a maioria dos homens cutuca o outro com seu membro ou mostra mesmo, esperando que o sexo ocorra. Já ouvi de várias pessoas que esse morning sex é o melhor que há.

Meu bom amigo Auro levou o gostar do prazer matutino a uma nova categoria, a meu ver. Fã do sexo sem compromisso e da caça via aplicativo encontrou um rapaz cujo nome não tenho a menor ideia de qual seja. Eles conversaram pelo chat e trocaram telefones para levar o bate papo para o WhatsApp. Depois de muita (muita mesmo) dirty conversation e nudes enviadas, eles queriam fazer aquilo que tanto falavam um ao outro. O problema logo surgiu: nenhum dos dois tem um horário de trabalho e estudos normal. Foram longos minutos percorrendo as agendas de ambos até que encontraram o dia e horário ideais. Domingo. Às 10 da manhã.

Particularmente, achava que as manhãs de domingo eram apenas uma lenda urbana, pois nunca as vi em minha vida. Mas parece que realmente existem. Então, enquanto milhares de crianças corriam para suas salas ver Hora de Aventura, Auro abria a porta para o Sr. Matutino para treparem até a hora do almoço, quando diriam adeus um ao outro.

A coisa foi tão boa para ambos que, naquela mesma tarde quente de domingo, gastaram os dedos nas telas de seus smartphones relembrando os melhores momentos e contando o que mais tinham vontade de fazer. A foda do próximo domingo fora marcada. Na realidade, Auro reservou todas os inícios do primeiro dia da semana para seu novo amante. Se você está lendo isto num domingo pela manhã saiba que eles estarão fazendo sexo neste exato instante.

Eu não costumo acordar muito bem humorado, independentemente de levantar por vontade ou por ter sido despertado. Sério mesmo, NUNCA falem comigo pelas manhãs. Se for imprescindível, por favor não queiram que responda algo mais do que um "hum". Não é nem uma questão de não funcionar antes do meio dia, é simplesmente de não gostar da vida antes do almoço.

Dito isto, fica bem intuitivo saber como foram as minhas experiências com sexo logo cedo. Sim, já "me fizeram" fazer isto logo nas (minhas) primeiras horas do dia. Não estava feliz ou receptivo. Meu corpo respondeu? Sim, como o de qualquer jovem de vinte e poucos. Foi algo torto e errado. Feito sem vontade alguma, apenas para terminar logo e satisfazer o outro, sem falar em se livrar de uma cara emburrada. Porque sim, haveria uma cara emburrada. Nem todo mundo entende a sutileza de um empurrão e pensam que, como há um relacionamento, pode-se insistir. O que faz com que eu acabe gerando uma briga por, no auge do meu mau humor matutino, ordenar que me soltem e xingar.

Quer me ver feliz? Me deixa dormir até a hora que for necessária, acordar em silêncio e comer alguma coisa. Não precisa encostar ou falar ou chegar perto. Se para Auro acordar cedo para tomar banho e se arrumar para ter um sexo na sua manhã livre é o paraíso, para mim ter contato sexual antes do almoço é uma verdadeira fonte de irritação. Um orgasmo fraco que traz benefício nenhum para minha vida.

Dito tudo isso, só posso concluir que morning sex tem que ser uma daquelas coisas que se fala logo no início do relacionamento, quando se fala do que se gosta e etc. Por exemplo:

"Na cama eu gosto de sexo oral, de quatro e no banho"
"Tenho tesão em 69, sexo de meias e bdsm"
"Curto zoofilia, morning sex, S&M e sexo sem proteção"

Façam seu/sua parceiro/a feliz e pergunte antes de passar o pinto nele/a logo no início do dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário